Site do Jornal NH conquista premiação

Portal ficou em 1º lugar em competição nacional

26/05/2014

O Jornal NH On-line foi o vencedor na categoria Novas Mídias do 3o Prêmio da Associação de Defensores Públicos do Estado do Rio Grande do Sul (Adpergs). A reportagem “Uma segunda chance atrás das grades”, do jornalista Marcelo Collar e do fotógrafo Rodrigo Rodrigues, conquistou a primeira colocação. O jornal ES Hoje, do Espírito Santo, ficou com o segundo lugar, e o terceiro foi do Estado de Goiás. Foram cinco categorias, nas quais concorreram mais de cem reportagens de veículos de todo o País. Reportagens de veículos internacionais, como a BBC e a Al Jazeera, chegaram a ser inscritas, mas não puderam participar da competição, que se limitava ao território nacional.

“Uma segunda chance atrás das grades”, publicada exclusivamente no site do Jornal NH no dia 24 de abril, mostra como é a vida dos detentos do Presídio Estadual de Taquara. “A sociedade tem dificuldade em entender o problema carcerário. Investimentos em presídios onde o detento possa cumprir sua pena com dignidade são tão importantes quanto investimentos na repressão do crime”, opina Collar.

Para o repórter fotográfico Rodrigo Rodrigues, a conquista atesta o amadurecimento do trabalho realizado: “Este é um prêmio importante, pois se trata do primeiro do Jornal NH Online.” O editor do site, Gabriel Guedes, considera a premiação um reflexo do trabalho de qualidade feito na web. “Procuramos cada vez mais levar o conteúdo qualificado do Jornal NH para as novas mídias. Essa premiação coroa a dedicação de toda a redação.”

Reportagem abordou o cárcere

“A ideia de falar do problema carcerário surgiu a partir de leituras de comentários em redes sociais”, explica Marcelo Collar: “É comum ver defesas apaixonadas da execução em massa de detentos, por exemplo. Queria mostrar para os leitores que presos também são gente.”  O local escolhido foi o Presídio Estadual de Taquara, o PET, que é uma cadeia diferente. São 145 apenados cumprindo o regime fechado, e todos eles trabalham seis dias por semana. “A ideia foi mostrar o PET de uma forma bastante crua e trazer a realidade de quem vive lá. Queria saber o que eles pensam, os planos que têm”, conta Collar, destacando o conteúdo multimídia da reportagem. “Desde o início produzimos este material com a Internet em mente. Queríamos valorizar bastante as fotos e os vídeos, e acho que conseguimos.”

A reportagem completa pode ser conferida aqui

Fotos: Gabriel Guedes/Grupo Sinos